CAIXA REDUZ JUROS DO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO




A Caixa Econômica Federal vai reduzir ainda neste mês os juros do financiamento imobiliário que utiliza recursos da caderneta de poupança.


O corte, no entanto, não levará o banco a oferecer, novamente, as taxas mais baixas do mercado. “Não podemos botar banca se não tivermos condição”, disse Nelson Antônio de Souza, novo presidente da instituição financeira, em sua primeira entrevista desde que assumiu o comando do banco há uma semana no lugar de Gilberto Occhi, que foi deslocado para o Ministério da Saúde.


O movimento da Caixa de cortar os juros para o financiamento imobiliário vem com atraso em relação aos concorrentes privados que começaram a reduzir as taxas à medida em que o Banco Central cortou a Selic, taxa básica de juros da economia. Entre os maiores bancos do País, a Caixa é o único que ainda cobra juros de dois dígitos no crédito imobiliário.


A redução já estava em estudo na gestão de Occhi, mas foi impulsionada com a recente decisão do BC de diminuir os depósitos compulsórios – dinheiro que os bancos são obrigados a deixar parado no Banco Central, sem poder usar para novos empréstimos, por exemplo. Leia a seguir trechos da entrevista concedida ao Estadão / Broadcast durante o Summit Imobiliário Brasil 2018, evento promovido pelo Grupo Estado.

O senhor tem menos de um ano de gestão no comando da Caixa, considerando que o Governo mude nas próximas eleições. O que dá tempo de fazer?

RETOMADA DO MERCADO IMOBILIÁRIO AGORA EM 2018



Após registrar alguns números negativos nos últimos anos, o mercado imobiliário brasileiro iniciou uma boa retomada nos últimos 12 meses, com indicadores de crescimento.


Este é um bom cenário para quem quer comprar, já que os números negativos dos últimos anos não indicam necessariamente algo ruim, pois as pesquisas de mercado levam em conta as vendas. Aliás, toda pesquisa é encomendada por alguém que deseja pesquisar o mercado para poder melhorar o gerenciamento dos seus interesses, o que parece estar acontecendo com os números de retomada. 

Resumindo, após um período de baixa nas vendas e aumento no estoque, uma provável melhora em parte das ofertas indica o bom momento para aquisição de um imóvel. Porém, quem compra deve, assim como quem vende, se preparar para encontrar a melhor oferta.


Em um olhar nacional, de acordo com dados do indicador Abrainc-Fipe, os lançamentos de novos imóveis totalizaram 68.808 unidades entre janeiro e novembro de 2017, registrando uma alta de 15,1% se tivermos como base o mesmo período do ano anterior. Ou seja, em 2017 o mercado imobiliário colocou à venda 15% mais imóveis novos do que em 2016.


A SIMPLIFICAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS RELATIVOS À DOCUMENTAÇÃO IMOBILIÁRIA




A tramitação do Projeto de Conversão da Medida Provisória nº. 656/2014 e a simplificação dos procedimentos relativos à documentação imobiliária
Conforme já se teve a oportunidade de colocar no artigo “Documentação imobiliária e a medida provisória nº 656/2014: possibilidade de maior segurança às transações imobiliárias“, foi editada, no dia 08/10/2014, uma Medida Provisória (MP nº. 656) com o fito de reduzir drasticamente a assimetria e dispersão das informações relativas aos imóveis e partes envolvidas numa negociação imobiliária (proprietários, notadamente) -, encampando o “princípio da concentração de todos os dados nas matrículas dos imóveis” junto aos Cartórios de Registro de Imóveis.
Ocorre que, em que pese estar provisoriamente em vigor, a MP nº. 656/2014 deveria ter sido convertida em Lei já no início do mês de Dezembro para que seus preceitos continuassem valendo indefinidamente, o que ainda não aconteceu, razão pela qual ela teve sua vigência prorrogada uma última vez, por mais sessenta dias, vencimento que se dará em fevereiro de 2015. Até lá, ela precisa ser aprovada, sob pena de não mais vigorar as disposições que trouxe em seu bojo.

ANSIEDADE NA VENDA DE IMÓVEIS

Nesse mundo moderno, cheio de caos, correria, falta de tempo, lá está ela a ansiedade fazendo parte do nosso cotidiano e muitas das vezes tomando conta da nossa vida, nossas atividades, do nosso bem estar e roubando nossa paz.
A ansiedade é a caracterizada pela sensação difusa ou vaga de apreensão, tensão e insegurança e nem sempre é identificada ou reconhecida por nós.
Está presente em muitas das nossas ações, inclusive quando estamos com clientes.
A ansiedade é a grande vilã em nossa profissão e o corretor de imóveis é uma grande vítima desse mal por vários motivos, entre eles, a demora em atender clientes, a expectativa da comissão, o desejo do fechamento imediato.
Não da para saber quando o próximo cliente virá ao plantão ou quando a próxima venda irá acontecer isso faz com que o corretor crie muita expectativa que o fechamento venha antes do esperado e acaba errando feio desde a abordagem.
Fica muito claro e perceptível quando o corretor deixa a ansiedade aflorar, esquecem e pulam etapas importantes na hora da negociação. Esquecem que não é possível caminhar para um fechamento se os processos de atendimento e pesquisa não puderem ser feitos com atenção, Quando tudo corre com a atenção devida o fechamento vira uma consequência.

3 HÁBITOS DIÁRIOS QUE TODO CORRETOR DE IMÓVEIS DEVE ADOTAR

Como é a sua rotina trabalho? Você tem tarefas cotidianas que ajudam a deixar o seu dia-a-dia mais organizado e a melhorar o seu rendimento? Isso é muito importante para que o seu desempenho como corretor de imóveis seja o melhor possível. O segredo para alcançar bons resultados é simples: adote hábitos produtivos!

3 hábitos essenciais para um bom corretor de imóveis

1. Dedique tempo as suas páginas pessoais na internet

Para vender bem, um corretor de imóveis deve ter uma ampla agenda de contatos. Uma maneira de conseguir isso é através da internet. Você pode criar um blog, um site pessoal ou usar as redes sociais. Tanto o blog, quanto o site ou as mídias sociais são ferramentas interessantes para quem quer fortalecer o próprio nome na web. Para quem trabalha com venda e locação de imóveis, isso é essencial. Você pode criar um blog para compartilhar conteúdos relevantes para clientes em potencial. Já as redes sociais podem ser usadas para que você se aproxime desse público.
Mas é muito importante que estas não sejam páginas criadas e abandonadas. Depois de criar o seu site, por exemplo, é preciso alimentá-lo com conteúdos relevantes. O mesmo vale para as redes sociais, que só são efetivas quando há interação. Faça disso um hábito diário: reserve um tempo do seu dia para responder comentários, pesquisar assuntos interessantes que possam se tornar posts e realizar outras tarefas relacionadas a suas páginas na web.

IMOBILIÁRIAS REDUZEM TERCEIRIZADOS E VALORIZAM CORRETORES DE IMÓVEIS ESPECIALIZADOS

A queda drástica no volume de financiamentos realizados por meio do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) refletiu diretamente na forma como trabalham as imobiliárias mineiras. Se antes o corretores de imóveis estava focado na captação e na venda do imóvel, hoje cabe a ele uma série de novas funções. Trata-se de uma verdadeira mudança de perfil do profissional. A quantidade de autônomos trabalhando em algumas redes também foi reduzida, segundo especialistas do setor. Por outro lado, para ganhar mercado, as redes estão ampliando o nicho de atuação.
Em julho deste ano houve uma queda de 42,7% na quantidade de empréstimos, quando comparada a igual mês do ano passado. A retração do sistema financeiro, que ficou mais seletivo na concessão de financiamentos e derrubou as vendas de imóveis, fez com que o mercado se adequasse à nova realidade do país, conforme afirma o diretor de Desenvolvimento Profissional da Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Indústrias do Mercado Imobiliário em Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), Eduardo Drumond Brito Vieira.
De acordo com ele, hoje o profissional imobiliário precisa possuir conhecimentos profundos a respeito de todo o processo de compra, venda e aluguel de imóveis. Desta forma, fica mais difícil perder a venda. “É necessário que o corretores de imóveis entenda tudo sobre financiamentos, conheça os planos e saiba apresentar a melhor proposta para o cliente”, comenta o diretor.