Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2012

SERÁ QUE É HORA DE VENDER SEU IMÓVEL?

Especialistas ponderam se o momento atual do mercado imobiliário é o ponto de alta - hora de realizar os lucros Para professor, demanda especulativa de imóveis já não existe mais São Paulo - No mercado imobiliário brasileiro não se fala em outra coisa. Os preços já não sobem mais com a mesma intensidade de antes. Incorporadoras vendem imóveis com descontos que ultrapassam os 30%, e vendedores de usados já não sentem mais tanta facilidade de passar seu bem adiante. Mas afinal, os preços chegaram ao topo? Ainda há espaço para mais valorização? Ou a tendência agora é que os preços se acomodem - ou até caiam? Para quem tem um imóvel que se beneficiou da alta valorização nos últimos anos, está na hora de vender e realizar o lucro? "Eu vejo uma estabilidade, com viés de baixa tênue. Vai ocorrer uma reformatação do mercado, com reposicionamento das construtoras com margens consideradas razoáveis", diz o professor João da Rocha Lima Junior, coordenador do núcleo de Real

PARA COMPRA DA CASA PRÓPRIA, SOMENTE CAIXA E CITIBANK REDUZIRAM TAXAS

Crédito imobiliário deverá sentir queda dos juros e influência das mudanças na poupança somente no longo prazo SÃO PAULO - A redução dos juros para diversas linhas de crédito, anunciadas desde abril pelo principais bancos de varejo brasileiros, vai chegar mais lentamente ao setor imobiliário. Para o financiamento habitacional, somente a Caixa Econômica Federal e o Citibank anunciaram taxas menores. Com as mudanças nas regras de rendimento da poupança, a tendência é os bancos gastarem menos para remunerar as aplicações em caderneta. Essa diminuição do custo de captação (funding) poderia ser repassada aos consumidores, por meio de juros menores no crédito habitacional. A influência da Selic abaixo de 8,5% no crédito habitacional, entretanto, será percebida somente no longo prazo. "No crédito imobiliário, a queda dos juros depende da velocidade de migração do estoque de poupança velha para o estoque de poupança nova, o que ainda é imprevisível", diz o vice-presidente d

LEI PROÍBE VENDA E ALUGUEL DE VAGAS DE GARAGEM EM CONDOMÍNIO

Agora, as garagens só poderão ser alugadas ou alienadas se houver autorização expressa dos condôminos. Para isso, é necessário ter o aval de dois terços dos moradores em assembleia Em vigor desde o último dia 2/5, a lei federal 12.607/12 proíbe a locação e a venda de vagas de garagem em condomínios para pessoas estranhas ao condomínio. Hubert Gebara, vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP, lembra que "antes já existiam restrições, porém, elas não eram claras". A lei altera o Código Civil, que afirma que apartamentos, escritórios, salas, lojas e sobrelojas podem ser alugados ou vendidos. Agora, as garagens só poderão ser alugadas ou alienadas se houver autorização expressa dos condôminos. E, para isso, é necessário ter o aval de dois terços dos moradores em assembleia. "A exceção são as vagas em garagem de condomínios ", afirma. Segundo Gebara, a mudança foi feita com o objetivo de garantir mais segurança aos condomínios .

INVESTIMENTO SEGURO

Conheça as vantagens de aplicar o seu dinheiro em empreendimentos imobiliários Na última década, os imóveis localizados na RPT (Região do Polo Têxtil) valorizaram em torno de 10% a 15% ao ano. A estimativa é do diretor de uma imobiliária em Americana, José Roberto Renesto. Para os investidores, essa é uma informação tentadora. Mas realmente investir no mercado imobiliário é um bom negócio? Segundo Renesto, é a aplicação mais indicada para quem quer ter segurança e tranquilidade. "O investimento em imóvel é seguro, obviamente tomando os devidos cuidados na hora da aquisição, avaliando bem o tipo de imóvel , a idoneidade documental, tanto do vendedor como do imóvel ", explica. Quem compartilha a opinião é o presidente do Secovi-SP (Sindicato da habitação), Claudio Bernardes. "É muito mais seguro que qualquer outro tipo de renda. Quem viveu na época do Collor, quando tiraram o dinheiro de todo mundo, deixando apenas R$ 50, entende muito bem o que é a segurança de

GOVERNO ESTÁ ESTUDANDO NOVA LINHA DE FINANCIAMENTO PARA MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

Guido Mantega reclamou da linha de crédito atual, que tem muitas condicionantes estipuladas pelo Conselho Curador SÃO PAULO - O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, anunciou nesta sexta-feira (25), que o ministério está estudando em conjunto com a Caixa Econômica Federal (Caixa), uma modalidade de financiamento de materiais de construção que seja mais eficaz do que a que está em vigor e que foi criticada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, esta semana. Segundo Ribeiro, na próxima reunião do Conselho Curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), em junho, a nova linha de financiamento já deve estar pronta. Na última segunda-feira (21), o ministro Guido Mantega reclamou da linha de crédito atual, que, segundo ele, tem muitas condicionantes estipuladas pelo Conselho Curador, o que restringe a concessão para as empresas. Depois de participar de reunião fechada com o Conselho Superior da Indústria da Construção (Consic), da Federação das Indústrias do Estado de S

DICAS PARA COMPRAR IMÓVEIS NO FEIRÃO DA CASA PRÓPRIA

Se você planeja visitar o feirão nos próximos dias, confira as dicas para comprar a tão sonhada casa própria Uma dica é ficar sempre atento aos juros, que mudam conforme o valor do imóvel e do financiamento São Paulo - Até o dia 10 de junho, a Caixa Econômica Federal (CEF) realiza o 8º Feirão da Casa Própria em 13 cidades de todo o Brasil. No evento, estarão à venda 430 mil imóveis , entre novos e usados. A grande vantagem do Feirão é a possibilidade de se realizar o processo de aquisição do imóvel num único espaço, uma vez que lá estarão imobiliárias , construtoras, incorporadoras, corretores, cartórios e agentes da Caixa, responsáveis por analisar e liberar o financiamento. Se você é uma das pessoas que planeja visitar o Feirão para comprar a tão sonhada casa própria, fique atenta às dicas: 1 Aproveite os feirões para comparar os preços dos imóveis e pesquisar as taxas de juros. 2 Fique atento aos juros, que mudam conforme o valor do imóvel e do financiamento - por

PREÇO E TAMANHO SÃO VANTAGENS DE USADOS

Despesas com reparos e reformas, no entanto, devem ser levadas em conta por comprador. Se os imóveis em construção trazem a incerteza sobre o prazo da entrega, os usados podem ser uma boa opção. O comprador terá que fazer algumas escolhas: condomínio mais em conta ou infraestrutura de lazer? Preço menor ou mais de uma vaga de garagem? Espaços mais amplos ou instalações elétricas novas? "O novo oferece vantagens como economia com reparos e possibilidade de escolha do andar e insolação, além da infraestrutura. Alguns condomínios são verdadeiros clubes", diz Maurício Bianchi, do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo. Com menos opções de lazer e mais gastos com reparos, os benefícios do usado estão em preço e tamanho. "Plantas anteriores a 2004 têm de 10% a 15% a mais em metragem, resultado de uma adequação do mercado ao bolso do consumidor da base da pirâmide, afirma Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP (Sindicato da Ha

INTERNET SE TRANSFORMA EM ALIADA NA COMPRA DA CASA PRÓPRIA

Construtoras e imobiliárias oferecem ferramentas para facilitar escolha de imóvel ; veja os riscos e conheça seus direitos Já pensou em comprar uma casa ou apartamento pela televisão? Esse é o novo hábito que a Tecnisa, construtora e incorporadora sediada em São Paulo, espera estimular a partir de setembro, quando algumas "smart TVs" - aquelas que contam com dispositivos que permitem acessar conteúdos na web - passarão a ser vendidas com aplicativos para navegar por seu website . "Será mais um canal de relacionamento com os clientes", resume Romeo Busarello, diretor de E-business e Relacionamento com Clientes da Tecnisa. A novidade visa atrair o público para o site da Tecnisa, que já oferece diversos aplicativos compatíveis com tablets e smartphones e está presente nas principais redes sociais. O investimento em novas tecnologias vai ao encontro dos resultados já obtidos pela empresa. A cada 100 pessoas que compraram apartamentos da Tecnisa no ano passado,

IMÓVEL MAIS CARO FICA ACESSÍVEL

As taxas mais baixas para o crédito imobiliário ampliaram a capacidade de financiamento de um imóvel em 10%. De acordo com cálculo do Sindicato da Habitação (Secovi), o mesmo valor desembolsado nas parcelas para manter um financiamento antigo de R$ 150 mil vai valer para um de R$ 165 mil com as taxas atuais, por exemplo. A Caixa Econômica Federal reduziu as taxas de juros de 10% ao ano para 9% para imóveis de até R$ 500 mil. Os clientes do banco com conta salário tiveram redução ainda maior, chegando a 7,9% ao ano para financiamento de imóveis de até R$ 450 mil pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH). "Essa redução dos juros pode ser utilizada de duas formas: quem não conseguia comprar imóvel pode ter o seu imóvel e, agora, quem tiver condição pode comprar um imóvel 10% mais caro pagando as mesmas parcelas", afirma o economista-chefe da entidade, Celso Petrucci. Apesar do cenário positivo, a recomendação dos especialistas é de cautela ao fechar o negócio. O cl

FINANCIAR IMÓVEL VIRA BOA OPÇÃO DE APLICAÇÃO

Para emprestar dinheiro a quem quer comprar a casa própria , o banco pega da caderneta de poupança de outros clientes, pagando um juro pequeno e cobrando um tanto mais do mutuário. Só que o financiamento de imóveis dobra a cada dois anos e os depósitos na caderneta crescem 10% ao ano. O resultado é que, no mais tardar em 2014, a poupança não será mais suficiente para carregar todo o crédito imobiliário nas costas. Como ocorre no mundo todo, a solução será apelar ao conjunto de investidores-fundos de pensão, gestores de investimento, seguradoras e o investidor pessoa física. Até agora, havia pouco interesse dos investidores. Afinal, por que assumir o risco de calote dos mutuários para ganhar de 9% a 12% se dá para levar mais emprestando sem perigo ao governo? A boa notícia é que os juros do governo caíram muito (a previsão é de 8,5% no final do mês) e hoje 9% ao ano é uma taxa bastante alta. Quase nenhuma aplicação atrelada a juros rende 12% -taxa paga por títulos de

DISPARA EMISSÃO DE LETRA IMOBILIÁRIA

Diante do apetite dos investidores para papéis de renda fixa que oferecem isenção de Imposto de Renda, os bancos têm utilizado as emissões de Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) como uma fonte de funding alternativa para financiar as operações de crédito imobiliário, engrossando os estoques desses papéis. O saldo de LCIs cresceu 52,3% nos últimos 12 meses encerrados em abril, atingindo R$ 53,679 bilhões, segundo dados da Cetip. No período, a captação desses títulos avançou 42,65%, somando R$ 25,268 bilhões. A Caixa é uma das instituições que têm utilizado esse instrumento para captar recursos para novas concessões de financiamento à habitação, respondendo por 33% do mercado. A carteira de LCIs do banco já soma R$ 20 bilhões, um crescimento de 58,2% do estoque nos últimos 12 meses encerrados em março. "Esses títulos têm sido uma importante fonte de funding, dado o ritmo de crescimento dos financiamentos imobiliários", af

COMO APROVEITAR O FEIRÃO DA CAIXA

Veja o que o banco oferece e confira dicas de especialistas para fazer um negócio bom e seguro na compra da casa própria O 8º Feirão Caixa da Casa Própria, que acontece neste final de semana em algumas cidades e termina em 10 de junho, é uma boa oportunidade para os brasileiros realizarem o sonho de ter um imóvel próprio para morar. Mas especialistas advertem que é preciso ter muito cuidado antes de fechar o negócio. "O ideal é voltar para casa e amadurecer a ideia da compra antes de assinar qualquer documento," diz Marco Aurélio Luz, presidente da Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências (AMSPA).  Quem quiser sair do evento com um contrato de financiamento fechado consegue atingir o objetivo em poucas horas. Foi o que fizeram 31 mil participantes da primeira etapa do evento, que aconteceu duas semanas atrás em Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Salvador. Segundo a Caixa, com carteira de identidade, CPF e comprovante de rendimento é possível

ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO: MELHOR SOLUÇÃO TÉCNICO-ECONÔMICA

O Brasil vive, desde 2004, quando foi aprovado o novo marco regulatório para a indústria da construção, um boom de crescimento no mercado imobiliário e programas habitacionais, com o lançamento do Programa Minha Casa, Minha Vida, em 2009. De lá para cá, o número de unidades financiadas e a expansão do crédito para a casa própria não deixou de crescer: dos cerca de R$ 3 bilhões de crédito para o setor, em 2004, passou-se a R$ 205,8 bilhões, em janeiro de 2012, de acordo com o Banco Central. Esse aumento do crédito, amparado em maior segurança para construtoras e incorporadoras e compradores de imóveis , também repercutiu no Distrito Federal e na Região Centro-oeste do país. Fatores como o crescimento da economia, mercado interno aquecido, aumento da renda familiar e a proximidade dos megaeventos esportivos mundiais devem garantir a manutenção desse aquecimento. O crescimento é reforçado por diferentes entidades internacionais. A Associação de Investidores Estrangeiros no Setor Imobi