Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

SETOR IMOBILIÁRIO APOSTA EM JOVENS COMPRADORES

A história do fotógrafo Danilo Vieira, 29 anos, ilustra bem os dados do estudo Os novos empreendimentos imobiliários em Rio Preto refletem uma nova tendência de mercado. Segundo um estudo divulgado no dia 15 de junho pelo Secovi-SP, o Sindicato da Habitação, o mercado imobiliário de Rio Preto aposta cada vez mais na população consumidora jovem. E é cada vez mais comuns os condomínios verticais com dois quartos, com, no máximo, 50m² surgirem na paisagem da cidade. A história do fotógrafo Danilo Vieira, 29 anos, ilustra bem os dados do estudo. Solteiro, morando com os pais e prestes a formar sua própria família, em agosto do ano passado adquiriu seu primeiro imóvel , ainda na planta. Ele optou por um apartamento com 50m², dois dormitórios, localizado na avenida Danilo Galeazzi. "Além de ser uma forma de investir, posso sair da casa dos meus pais. As facilidades de crédito me garantiram essa oportunidade e a boa localização", conta. De acordo com o diretor Regional do S

DEZ PERGUNTAS QUE PODEM LEVAR AO SUCESSOV

Para quem quer descobrir se seus objetivos de vida e de carreira são mesmo válidos, um especialista recomenda o exercício de se perguntar todos os dias “estou criando lembranças maravilhosas?” Pensa que sucesso é sempre sinônimo de muito dinheiro? Pense novamente. Comprar um carro novo pode fazer alguém feliz por um dia ou dois, mas esse orgulho que vem com a compra é temporário, segundo Geoffrey James. Autor de um dos blogs especializados em vendas mais visitados da rede, o Sales Source, publicado na Inc.com, ele garante que o sucesso de verdadeiro vem da qualidade dos relacionamentos e das emoções que alguém pode experimentar a cada dia. E, para confirmar sua teoria, ele criou dez perguntas que todo mundo deveria se fazer diariamente para garantir o sucesso. 1. Eu fiz de tudo para garantir que aqueles que eu amo se sintam realmente amados? 2. Será que eu fiz alguma coisa hoje para melhorar o mundo? 3. Será que eu estou condicionando o meu corpo a ser mais forte, flexí

DECRETO DÁ MAIS RAPIDEZ À LIBERAÇÃO DE ALVARÁS

O Decreto nº 33.734/2012, publicado na edição de ontem do Diário Oficial do Distrito Federal, traz mudanças que visam a dar mais celeridade à emissão de alvarás de construção. As alterações foram construídas pela Casa Civil do DF atendendo a determinação do governador Agnelo Queiroz. O novo texto confere mais atribuições à Coordenadoria das Cidades para a análise dos processos e institui uma instância de monitoramento das ações definidas pelo decreto. A redação altera os Decretos nº 19.915/1998 e nº 29.590/2008, que regulamentam as Leis nº 2.105/1998 e nº 755/2008, respectivamente. Segundo o secretário da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, a medida inaugura uma nova concepção para a liberação dos alvarás. "O objetivo é garantir meios para que a análise dos processos seja mais célere, atendendo a necessidade dos setores da sociedade que dependem desse instrumento e dando maior ritmo ao desenvolvimento da cidade", afirma Berger. A aprovação dos projetos e a liberação dos

CORRETOR DE IMÓVEIS - COMO ATENDER A NOVA GERAÇÃO DE CONSUMIDORES

Com a alta velocidade das informações, a rapidez ao clicar o Enter e conseguir aquilo que se pretende adquirir por meio das facilidades apresentadas na internet, a maioria das pessoas, principalmente os jovens, quando do contato direto com um corretor imobiliário, quer agilidade, mas sem perder a qualidade no atendimento. No mundo atual está tudo muito veloz, e quando as pessoas percebem que algo está moroso gera impaciência e desconforto. Da mesma forma que acontece na rotina diária, no trânsito congestionado, na internet lenta, reflete também em outros tipos de serviços. As facilidades são muitas: receber a refeição solicitada pela internet ou telefone, escolher e comprar roupas, sapatos, livros através das lojas virtuais, fazer compras de supermercado sem sair do conforto do lar, evitando perturbações com trânsito, fila dos caixas e procurar vaga em estacionamento, etc. Imagine fazer justamente o inverso, ter que se locomover para atender a essas necessidades. Ufa! Até eu já ca

CONTRATOS NOVOS DE ALUGUEL SOBEM 14% EM 12 MESES

Para os contratos em andamento, reajustados pelo IGP-M, o acréscimo será bem menor, de 4,3% Os contratos novos de aluguel residencial na cidade de São Paulo tiveram um aumento médio de 14,1% nos 12 meses encerrados em maio. Em relação a abril, a alta foi de 1,5%. Apesar de se manterem em patamar elevado, os reajustes vêm desacelerando desde dezembro (veja quadro). "O recorde de aumento foi em novembro [alta de 19,8%]. A partir daí a tendência tem sido de redução do ritmo porque os preços estão em um patamar elevado", diz Roberto Akazawa, gerente do departamento de economia e estatística do Secovi-SP (sindicato da habitação), que divulgou a pesquisa ontem. De acordo com Akazawa, o problema de escassez na oferta de unidades em algumas regiões é o que ainda mantém aumentos superiores à inflação. "A tendência é que essa distância diminua." O reajuste do aluguel no mês passado ficou 9,1 pontos percentuais acima do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Ampl

RODOVIAS VIRAM 'AVENIDAS' EM CAMPINAS

Expansão da cidade faz regiões próximas a estradas ganharem cada vez mais empreendimentos residenciais Parque Prado, região do shopping Iguatemi e Mansões Santo Antônio são locais que concentram expansão Com a saturação das áreas centrais, os lançamentos de imóveis residenciais de Campinas têm se concentrado em bairros próximos às rodovias. Os empreendimentos crescem às margens das estradas que passam pela cidade paulista, um dos principais municípios do Estado. Anhanguera e Bandeirantes, entre outras estradas, ligam a cidade à capital, que fica a 93 km, além de conectarem o município com outros da região metropolitana. "Campinas cresceu e passou pelas rodovias, que viraram 'avenidas' da cidade", diz Rodrigo Coelho, diretor de compra e venda do Secovi-SP da região, sindicato que representa as construtoras. O aumento do trânsito também foi um dos fatores que contribuíram para a tendência. "As pessoas querem facilidade, chegar mais rapidamente a

DIRETORES DO SECOVI-SP ORIENTAM SOBRE COBRANÇA DE CONDÔMINOS

Estratégias judiciais para a cobrança das despesas dos condomínios : este foi o tema central do Encontro PQE (Programa Qualidade Essencial) do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), realizado na sede de Sorocaba, em 13/6. Estratégias judiciais para a cobrança das despesas dos condomínios: este foi o tema central do Encontro PQE (Programa Qualidade Essencial) do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), realizado na sede de Sorocaba, em 13/6. Para discutir a questão, foram convidados o diretor da vice-presidência de Gestão Patrimonial e Locações do Sindicato, Jaques Bushatsky, e o diretor de Legislação da vice-presidência de Administração Imobiliária e Condomínios do Sindicato, Juraci Baena Garcia. Bushatsky, que também é coordenador geral do PQE, comparou a difícil tarefa de cobrar os condôminos à compra de um iPhone. "Quando compramos um iPhone, temos de ler o manual e conhecer as regras de uso para poder manusear o aparelho. O mesmo acontece quando cobramos um morador inadimplente

ALUGUEL: AUMENTA A PROCURA POR SEGURO-FIANÇA EM SP

Encontrar alguém disposto a se tornar fiador em um contrato de aluguel não é tarefa fácil. Justamente essa dificuldade tem ajudado a impulsionar o mercado de outro tipo de garantia: o seguro-fiança. Só nos primeiros quatro meses do ano a modalidade movimentou R$ 57,5 milhões em contratações, um crescimento de 25% em comparação aos R$ 45,8 milhões registrados no mesmo período de 2011no Estado de São Paulo. Em abril, a garantia foi usada em 20,5% dos contratos de locação. Há quatro anos, a participação era de 17%. Para se chegar nas vantagens e desvantagens do seguro-fiança, o diretor do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), Jaques Bushatsky, explica primeiro os outros dois tipos comuns de garantia. A caução é um depósito no valor de três aluguéis na poupança. Caso ocorra algum problema, o dono do imóvel tem direito ao dinheiro. "O problema é que em caso de inadimplência, uma ação de despejo demora cerca de sete meses, um tempo maior do que os três meses garantidos pelo depósi

VENDA DE IMÓVEIS USADOS CRESCE PELO SEGUNDO MÊS SEGUIDO NO ESTADO DE SÃO PAULO, COM ALTA DE 9,3%

As vendas de imóveis usados no Estado de São Paulo cresceram 9,3% em março, sustentando o movimento de alta registrado em fevereiro, quando o número de transações foi 4,54% maior que o de janeiro. A locação de casas e apartamentos , porém, caminhou em sentido contrário, acumulando dois meses de queda no número de novas locações - 1,71% e março e 5,38% em fevereiro. Os números foram levantados em pesquisa feita com 1.418 imobiliárias de 37 cidades do Estado pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CRECISP). Março foi o terceiro mês seguido de queda dos preços médios de venda e de locação residencial registrado pelo Índice Estadual de Preços de Imóveis Usados Residenciais do CRECISP. O Índice Crecisp encolheu 7,49% em março. Em fevereiro, a queda foi de 1,94% e em janeiro, de 5,2%. No ano, o índice acumula queda de 14%, mas em 12 meses o saldo é positivo, com alta de 8,79%. O Índice Crecisp é composto pela média de preços de imóveis vendidos e de

PESQUISA SECOVI-SP CONFIRMA TENDÊNCIA DE CRESCIMENTO DO MERCADO

O mercado de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo confirmou em abril as expectativas de crescimento do setor neste ano. De acordo com a Pesquisa Sobre Mercado Imobiliário realizada pelo Secovi-SP, as vendas no primeiro quadrimestre atingiram 7.407 unidades, com alta de 12,5% em relação ao mesmo período de 2011 (6.584 unidades). O Departamento de Economia e Estatística do Sindicato apurou aumento também no volume de vendas expresso em valores monetários atualizados para abril. De janeiro a abril, vendeu-se R$ 3,6 bilhões, frente aos R$ 3,4 bilhões do primeiro quadrimestre de 2011, um incremento real de 6,9% entre os períodos. O desempenho de comercialização expresso pelo indicador Velocidade de Vendas acumulado de 12 meses vem crescendo mês a mês: passou de 56,7% em dezembro de 2011 para 60,4% em abril de 2012, contribuindo para explicar o papel relevante do crescimento de vendas em unidades. Segundo a Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio), foram

QUEM TORNA O IMÓVEL 'INTELIGENTE' É O MORADOR

Projeto e construção são meios para reduzir o impacto ambiental do imóvel . Mas quem faz a diferença, mesmo, é o morador ou usuário. "Ele é o elemento-chave para que a sustentabilidade se consolide, pois é quem vai usar as soluções implantadas e investir na manutenção", observa Roberto de Souza, diretor do Centro de Tecnologia de Edificações, empresa de consultoria ambiental. Grandes administradoras de condomínios estão atrás de certificação, de forma a reduzir custos para os moradores e implantar operações mais sustentáveis nos edifícios já existentes. "Em edifícios comerciais isso já é regra. Nos habitacionais, a tendência vai se disseminar. Crianças e jovens questionam os pais sobre o condomínio não ter coleta seletiva e cobram medidas amigas do ambiente", diz Souza. A prática de retrofit (reforma para modernizar o imóvel) é um caminho para introduzir sustentabilidade, diz Luiz Henrique Ferreira, diretor da Inovatech, empresa de consultoria especiali

PREÇO DOS IMÓVEIS FICARÁ ESTÁVEL NESTE ANO, AVALIAM EMPRESÁRIOS

Representantes do setor, como o superintendente da Caixa Paulo Galli, dizem que aumento do crédito fez crescer demanda Os preços dos imóveis deverão permanecer estáveis em 2012, segundo avaliação do superintende regional da Caixa Econômica Federal em São Paulo, Paulo Galli. De acordo com ele, nos últimos anos, houve uma recuperação do valor dos imóveis , o que deve fazer com que as próximas altas venham num ritmo mais moderado. "Há uma tendência de estabilização dos preços. Logicamente que em algumas áreas da cidade haverá uma valorização maior", afirmou Galli. Na avaliação do superintendente da Caixa, o aumento dos preços dos imóveis nos últimos anos foi consequência do crescimento da demanda, impulsionado principalmente pelo aumento do crédito do setor. "Com o aumento do crédito nos anos anteriores, os preços voltaram para a realidade", disse Galli durante almoço de confraternização com os vencedores do prêmio Top Imobiliário que é promovido pelo Grupo

META DO BANCO DO BRASIL É O SEGUNDO LUGAR EM IMOBILIÁRIO

SÃO PAULO - Para os próximos anos, a estratégia do Banco do Brasil, presidido por Aldemir Bendine, está em atingir a segunda colocação na concessão de crédito imobiliário. Segundo o diretor de Distribuição do banco, Walter Malieni Júnior, o objetivo será atingido a partir de agora. Outra forma de obter a liderança está na entrada de novos clientes com a redução das taxas de juros. "Estamos em quarto lugar sem ter o financiamento de prédios, e essa convergência de empréstimos começa agora", disse Malieni. Atualmente, a Caixa Econômica Federal detém a liderança dos empréstimos para habitação, com 75%; em seguida está o Itaú Unibanco, com 9% do setor. O diretor detalha que o mercado está em expansão, o que beneficia o BB, e há o processo de portabilidade. "Temos uma operação centralizada e com padrão próprio para a concessão. Em São Paulo, por exemplo, há ainda o programa Casa Paulista, com subsídios para servidores públicos, uma frente nova em que agora estamos inse

IMÓVEIS TÊM A MENOR ALTA EM 20 MESES

Preços sobem 0,9% em maio, na terceira desaceleração seguida, apura pesquisa FipeZap O preço do metro quadrado dos imóveis residenciais prontos no País subiu em maio 0,9%, a menor variação desde setembro de 2010, quando o Índice FipeZap começou a ser pesquisado. O indicador reúne informações dos preços do m² dos imóveis , principalmente usados e também novos, exceto lançamentos, em seis regiões metropolitanas e no Distrito Federal. As informações são de anúncios na internet. "A alta de preço de maio deste ano é um terço da taxa registrada em abril de 2011 (2,7%), quando se iniciou a trajetória de desaceleração", afirma o coordenador do indicador, o economista Eduardo Zylberstajn. Ele explica que o mercado imobiliário residencial passa por um ajuste, iniciado um ano atrás. De lá para cá, os preços têm tido algumas oscilações para cima, mas, na média, a trajetória é de desaceleração. O grande boom nos preços do mercado imobiliário que houve nos últimos anos foi pr

DESCOMPASSO ENTRE PREÇO DE IMÓVEL E RENDA AFETA MERCADO

Nos últimos anos, o valor dos imóveis cresceu muito acima da renda, criando um descompasso entre a capacidade de endividamento das famílias e o financiamento imobiliário. Enquanto a renda média do trabalho do brasileiro subiu 43% entre 2007 e 2011, o valor médio dos financiamentos de aquisição de imóveis  feitos pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) aumentou 83%. As novas regras de financiamento anunciadas ontem pela Caixa Econômica Federal tendem a facilitar o acesso de novas famílias ao crédito. Em 2007, o empréstimo médio concedido pelo SFH era de R$ 82 mil, com parcela inicial que comprometia 42% da renda de um casal médio brasileiro, considerando prazo de 30 anos. No ano passado, o financiamento médio atingiu R$ 150 mil, com as parcelas iniciais equivalendo a 52% da renda do casal. O valor do financiamento médio pelo SFH tende a subir ainda mais neste ano e no próximo, dado que os empréstimos tomados ao longo de 2011 estão ligados a repasses de lançamentos mais antig