Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

REDE DE IMOBILIÁRIAS PROMETE FACILITAR VENDAS

Nascida da união de sete imobiliárias , foi lançada na manhã de ontem, na sede da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana), a Rede Imóveis Americana. A entidade foi criada com a finalidade de facilitar a compra e venda de imóveis por meio de um sistema único. Com o mercado imobiliário da RMC (Região Metropolitana de Campinas) em alta e a grande oferta de financiamentos públicos para a compra de imóveis , a expectativa das imobiliárias fundadoras é ampliar a quantidade de negócios. O mercado imobiliário está aquecido e cada vez mais dinâmico, por isso buscamos desenvolver uma ferramenta para proporcionar ao cliente benefícios e facilidades. Ainda não temos números específicos, mas a junção das imobiliárias vai trazer maior oferta", explicou o coordenador da rede, Fábio Santarosa. INTERLIGADO Segundo Santarosa, o sistema é interligado e quem pretende comprar um imóvel pode buscar n

NÚMERO DE AÇÕES NA JUSTIÇA DE COBRANÇA DE CONDOMÍNIO CRESCE 53%

Levantamento do Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) junto aos fóruns da cidade de São Paulo mostra que o número de ações de cobrança por falta de pagamento da taxa de condomínios cresceu 53,36%. Em janeiro, foram registrados 888 casos contra as 579 ações ajuizadas no mês anterior. Comparado ao número de ações registradas em janeiro de 2011 (515 ações), houve retração de 72,42%. Para o vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Sindicato, Hubert Gebara, o que pode ter contribuído para o aumento no acumulado do ano são as despesas de final de ano. "Provavelmente, o paulistano gastou mais com presentes, viagens e lazer", afirma o dirigente, que aponta ainda o pagamento dos tributos (IPVA e IPTU) como fator de endividamento, assim como gastos com matrícula e material escolar. Contudo, segundo Gebara, a alta não deverá alterar o quadro de estabilidade observado nos últimos meses.

IMOBILIÁRIAS FIRMAM PARCERIA E CRIAM A REDE IMÓVEIS

Objetivo é incentivar o cooperativismo entre as imobiliárias Trabalho vai aprimorar o que vem sendo feito', afirma Pavan. O boom do mercado imobiliário e a união de sete marcas do ramo criou a Rede Imóveis Americana, lançada oficialmente na sexta-feira (24), na sede da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana). A prática reúne os imóveis colocados à venda e para locação em um único espaço, através de página na internet, além de possibilitar o cooperativismo entre corretores das diferentes bandeiras, que podem negociar também imóveis das parceiras envolvidas na iniciativa. "A intenção da rede é motivar o cooperativismo e a realização de negócios em parceria", afirmou Fábio Santarosa, diretor-coordenador da Rede Imóveis Americana. O interessado em adquirir algum imóvel pode escolher a imobiliária de sua preferência , que ficará responsável também pelo gerenciamento de todos os procedimentos da negociação, com

AQUECIMENTO DO MERCADO IMOBILIÁRIO FAVORECE ADVOCACIA

A advocacia voltada ao segmento imobiliário está em alta, favorecida pelo bom desempenho da economia. Nunca se construiu e vendeu tantos imóvei s no Brasil, a ponto de o país já aparecer no alto da lista dos maiores construtores imobiliários de todo o mundo. E com a economia em alta, cada vez mais um número maior de profissionais do Direito, de diferentes áreas de atuação, são chamados a respaldar negócios e iniciativas no mercado imobiliário e, ao mesmo tempo, intervir na tentativa de solucionar uma gama quase infindável de litígios decorrentes de tal aquecimento. Um círculo virtuoso, no sentido clássico empregado à expressão. No ano passado, o volume de crédito habitacional para a compra ou construção da casa própria passou, pela primeira vez, a fantástica marca de R$ 200 bilhões - um crescimento de 45% em relação a 2010, quando o setor imobiliário também atingiu um patamar histórico, com 1,052 milhão de moradias financiadas com recursos das ca

ADMINISTRADORAS DE IMÓVEIS PASSAM À MARGEM DA CRISE

SÃO PAULO - As empresas que administram condomínios continuam crescendo ao largo da crise internacional. Ao contrário do cenário de incertezas externo, com o boom imobiliário no País e os investimentos em serviços mais dinâmicos, baseados em novidades tecnológicas, a previsão é de o setor ver incremento de 20% este ano, apoiado ainda na expansão para o nordeste e centro-oeste. Para ampliar o atendimento profissionalizado aos grandes empreendimentos, a Manager Administração de Condomínios lançou este mês a Assembleia Digital, um sistema virtual que aumenta a interação entre condomínios e moradores sem que eles precisem adequar os seus horários às reuniões. Com a novidade o grupo espera aumentar em 20% o faturamento de R$ 6,5 milhões em 2011. "A Assembleia Digital é uma ferramenta inovadora para o mercado que agrega muitos benefícios aos condôminos como maior conhecimento do condomínio, melhoria de convivência além de favorecer processos a

5 RAZÕES PARA OS PREÇOS DOS IMÓVEIS SUBIREM EM 2012 - E 5 PARA ELES CAÍREM

SÃO PAULO - Os preços dos imóveis registraram forte valorização nos últimos anos, motivados, segundo especialistas, por uma série de fatores - entre eles, a estagnação de preços nos anos anteriores, a maior oferta de crédito e a ascensão das classes C e D. Nos últimos 12 meses encerrados em janeiro, a valorização atingiu 25,5% no Brasil, de acordo com o índice FipeZap. Mas será que ainda há espaço para mais alta? Há quem diga que sim e há quem tenha opinião contrária. Para você tirar suas próprias conclusões, especialistas listaram 5 motivos para que os preços dos imóveis subam este ano - e 5 para que eles caiam (ou fiquem estáveis). Motivos para que os preços subam: Para o CEO da Vitacon Incorporadora, Alexandre Lafer Frankel, os imóveis devem continuar se valorizando em 2012. Confira as razões apresentadas pelo executivo: Crescimento e estabilidade econômica O crescimento da economia brasileira e a estabilidade econômica atingida pelo P

CRECI: VENDA DE IMÓVEIS USADOS CRESCE 44,96% NO ESTADO DE SÃO PAULO

O mercado de imóveis usados do Estado de São Paulo registrou forte recuperação das vendas em novembro, que foram 44,96% maiores que em outubro segundo pesquisa com 1.465 imobiliárias de 37 cidades pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CRECISP). As imobiliárias consultadas venderam 1.115 imóveis , o que fez o índice estadual de vendas saltar de 0,5250 em outubro para 0,7611 em novembro. Em outubro, as vendas tiveram queda de 18,29% em relação a setembro. "Importante é observar o desempenho acumulado no ano, expurgado das variações sazonais, onde se vê claramente que 2011, até novembro, foi um ano positivo para o mercado de usados no Estado", afirma José Augusto Viana Neto, presidente do CRECISP. De janeiro até novembro, o volume de imóveis negociados no mercado imobiliário paulista é positivo em 26,50%. "É muito provável que o ano feche no azul, sem sinal de crise", completa. Outro i

FGTS VAI FINANCIAR REFORMA DA CASA PRÓPRIA

A chegada do Carnaval e a ocorrência de chuvas reduzem as vendas de material de construção Deve chegar nas próximas semanas nas agências da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e de outras instituições uma nova linha de crédito, com utilização de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para a reforma da casa própria. As diretrizes da nova linha de crédito foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU). A medida foi anunciada no início de janeiro após a aprovação pelo Conselho Curador do Fundo. Os bancos ainda estão analisando e formatando este tipo de financiamento. A linha de crédito, voltada para reforma e ampliação de imóveis residenciais, é de até R$ 20 mil por pessoa. A taxa de juros será de 12% ao ano, para pagamento em até 120 meses. A linha de crédito Financiamento de Material de Construção (Fimac FGTS) estará disponível para cotistas do fundo com vínculo empregatício ativo, independente da renda e de acordo co

CONSTRUTORAS ENTREGAM PRÉDIOS NOVOS COM DEFEITO

Quem comprou ou pretende comprar um imóvel na planta precisa tomar cuidado. Isso porque de cada dez reclamações sobre prédios entregues na cidade de São Paulo, pelo menos três estão relacionadas a problemas de construção ou defeito na execução da obra. A estimativa é da Associação de Mutuários de São Paulo e Adjacências (Amspa) com base nas queixas recebidas em 2011. Entre as principais ocorrências registradas estão infiltrações e rachaduras. "Existe uma ganância pelo lucro. As empresas começam a construir várias obras ao mesmo tempo e não dão conta da demanda. E ainda usam material de segunda qualidade", afirma o assessor jurídico da Amspa, João Bosco Brito da Luz. Segundo ele, as infiltrações aparecem em decorrência de impermeabilizações mal feitas ou outras técnicas aplicadas indevidamente. Em segundo lugar estão as rachaduras por conta do uso de material de qualidade inferior. Metade dos casos é resolvida diretamente entre constru

NOVO PRESIDENTE DA SECOVI-SP DIZ QUE FALTA TERRENO PARA ATENDER DEMANDA POR IMÓVEIS

Para Bernardes, é preciso ter planejamento para que o setor imobiliário cresça. Em defesa de uma atuação conjunta entre as iniciativas pública e privada para driblar os entraves do setor imobiliário, Cláudio Bernardes assumiu oficialmente na noite de segunda-feira (13) a presidência do Secovi-SP, sindicato da habitação em São Paulo, em cerimônia realizada na capital paulista. Bernardes, que era vice-presidente da entidade e pró-reitor da Universidade Secovi, substitui João Crestana, que permaneceu no cargo por dois mandatos. A eleição do executivo para o período de 2012 a 2014 havia ocorrido em agosto passado. No discurso de posse, Bernardes destacou a escassez de terrenos adequados para construção de projetos suficientes para atender a demanda por imóveis , sobretudo em grandes centros urbanos como São Paulo. De acordo com ele, "precisamos ter espaço urbano adequado para atender a demanda e oferecer moradias compatíveis com a necessida

ALUGUEL DE ESCRITÓRIO CLASSE A SOBE 17,9% EM SP

O valor do aluguel de escritórios de alto padrão na cidade de São Paulo disparou no ano passado, impulsionado pelo descompasso entre oferta e demanda. Segundo levantamento da consultoria imobiliária Colliers International, obtido pela Agência Estado, o valor médio pedido nas locações de imóveis corporativos de classe A na capital paulista cresceu 17,9% em 2011, maior alta registrada desde 2007, quando chegou ao pico de 54,8%. O dado de 2011 representa uma forte aceleração se comparado ao avanço de 9 2% em 2010. Para este ano, a consultoria ainda espera uma nova alta, na faixa de 10%. A taxa de vacância (porcentual de imóveis vagos dentre o estoque total) em São Paulo foi de apenas 1,6% no quatro trimestre, um dos menores níveis entre as 172 cidades em 56 países cobertas pela pesquisa. Se considerado o estoque de Alphaville, bairro empresarial de Barueri, na região metropolitana, a taxa de vacância foi de 5,1%. Nos últimos anos, vem aumentando

UNIVERSITÁRIOS AQUECEM MERCADO REGIONAL

Segundo Habicamp, procura cresce 40% neste início de ano letivo em comparação com o mesmo período de 2011. O início do ano letivo nas universidades de Campinas fez com que a procura por imóveis na cidade disparasse. Segundo estimativa da Habicamp (Associação Regional da Habitação), a busca por um imóvel , seja para compra ou aluguel, cresceu aproximadamente 40% neste ano em relação ao mesmo período do ano passado. O presidente da Habicamp, Francisco Oliveira Lima Filho, explica que, historicamente, o início do ano é um período de muito crescimento imobiliário, mas 2012 superou as expectativas. “A procura está muito grande. Fizemos uma pesquisa junto às principais universidades e chegamos à conclusão de que serão cerca de 5 mil novos alunos vindos de fora de Campinas. Levando em conta uma moradia para duas pessoas, precisaríamos de 2,5 imóveis. Campinas e região são consideradas como um dos melhores lugares para estudar e para morar”, disse.