MESMO COM CRESCIMENTO DE 15,8% EM 2011, ESTUDO APONTA PARA ESTABILIZAÇÃO DOS PREÇOS DOS IMÓVEIS

Dados do Secovi mostram crescimento também no norte e o nordeste do Estado.

O mercado imobiliário no Rio de Janeiro continua em alta e o preço dos imóveis não para de subir. O estudo Panorama do Mercado Imobiliário 2011 do SecoviRio (Sindicato da Habitação), lançado nesta terça-feira (27), revela que em 2011 o valor médio do m² para venda, na capital fluminense, subiu 15,8%. No entanto, no mesmo período do ano anterior essa variação ficou em 42,1%, o que aponta para uma fase de estabilização dos preços.

A previsão para 2012 é de crescimento moderado, confirmando a tendência de estabilidade do setor

Outro dado importante da pesquisa são os números que compreendem o norte e o nordeste do Estado. Em Macaé, por exemplo, os valores dos imóveis atingiram os maiores patamares fora da região metropolitana, praticamente alcançando os do bairro de Laranjeiras, na zona sul do Rio, um dos mais procurados pela classe média.

O estudo constata também que o ano de 2011 foi importante para afastar o medo do risco de uma bolha imobiliária, como a que abalou a economia americana em 2008. De acordo com os especialistas ouvidos pelo Secovi, a supervalorização no Brasil está mais relacionada à prosperidade econômica do que a um excessivo endividamento da população, fator desencadeador da crise nos Estados Unidos.

Bairros do Rio

O Panorama do Mercado Imobiliário 2011 mostra que na zona sul os destaques são para Gávea e Lagoa, que tiveram uma valorização expressiva nos preços do m² para venda. No primeiro, a variação para apartamentos de três quartos, de janeiro a dezembro de 2011, foi de 46%. No segundo, os de um quarto tiveram valorização de 91,5%, o maior índice registrado pelo estudo.

Com a consolidação das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), as diversas melhorias de infraestrutura e o aumento do número de construções com padrão elevado, a zona norte cresceu consideravelmente, com destaque para Vila Isabel e Méier, que tiveram, respectivamente, valorização do m² para venda de 46,9% (dois quartos) e 62,4% (quatro quartos).

No que diz respeito ao aluguel de imóveis, o cenário se manteve positivo, principalmente para o centro da cidade. O m² dos imóveis de um quarto, no bairro, valorizou 45,2% em 2011, índice bastante superior ao obtido em 2010, de 0,8%. Os de dois quartos valorizaram 65,9%, ante os 10,2% do ano anterior.