APÓS BB E QUEDA DA SELIC, CAIXA ECONÔMICA FAZ NOVA REDUÇÃO DE JUROS


A Caixa Econômica Federal anunciou nesta sexta-feira uma nova redução de juros. A medida atinge juros tanto para pessoas físicas quanto jurídicas.

As justificativas da Caixa são as mesmas do Banco do Brasil, que ontem também anunciou uma nova redução nos juros: a queda na Selic.


Na quarta-feira, o Banco Central anunciou a redução de 9,75% para 9% dos juros do governo, piso das taxas, o menor patamar em dois anos.

Também da mesma forma que o BB, as novas taxas passam a vigorar na próxima segunda-feira (23).

De acordo com o banco, a redução para pessoas físicas abrange os juros mínimos e máximos para empréstimo consignado para aposentados INSS e as taxas mínimas para financiamento de veículos e crédito pessoal.

Para pessoa jurídica, a redução atinge produtos para micros, pequenas e médias empresas.

A Caixa também lançou um programa de renegociação de dívidas. O banco ainda anunciou ontem que irá aumentar o horário de atendimento ao público entre os dias 23 de abril e 11 de maio para atender a demanda do programa de redução de juros.

VEJA AS NOVAS TAXAS, EM % AO MÊS

Pessoa Física
Juros atuais
Juros a partir de 23.abr
Consignado INSS taxa mínima
0,84%
0,75%
Consignado INSS taxa máxima
1,80%
1,77%
Crédito pessoal (CDC salário) taxa mínima
2,39%
1,80%
Financiamento veículos taxa mínima
0,98%
0,89%
Pessoa Jurídica
Juros atuais
Juros a partir 23.abr
Capital de giro (crédito especial empresa pré)*
min. 1,47% e max 2,69%
min 1,37¨% e max 2,05%
Capital de giro (crédito especial empresa pós)*
min 1,39% a max 2,63%
min 1,29% e max 1,99%
Antecipação de recebíveis imobiliários (Construgiro)**
min 1,01% e max 1,50%
min 0,97% e max 1,46%

* com garantia do FGO (Fundo Garantidor de Operações) ** para empresas de construção civil

Fonte: Caixa

QUEDAS

O BB foi o primeiro banco a anunciar queda nas taxas de juros, em 4 de abril, com o lançamento do programa BomPraTodos. No dia seguinte (5 de abril) foi a vez da Caixa Econômica Federal.

O HSBC foi o primeiro banco privado a anunciar queda nas taxas, no dia 12. O Santander reduziu os juros para micro e pequenas empresas na última terça-feira. Ontem (18), Bradesco e Itaú, os maiores bancos privados do país, também anunciaram medidas semelhantes. O Santander também reduziu ontem as cobranças para pessoas físicas.

A Caixa também lançou um programa de renegociação de dívidas. O banco ainda anunciou hoje que irá aumentar o horário de atendimento ao público entre os dias 23 de abril e 11 de maio para atender a demanda do programa de redução de juros.

ESTÍMULO A ECONOMIA

O movimento de redução das taxas nos bancos públicos atende ao chamado da presidente Dilma Rousseff, que tem o assunto como uma de suas prioridades. A iniciativa é uma forma de acirrar a concorrência com os bancos privados, que também anunciaram cortes após o BB e a Caixa, e estimular a economia para garantir um crescimento próximo a 4% neste ano.

A Caixa Econômica Federal informou ontem que também registrou um crescimento no volume de concessões de crédito. Os financiamentos voltados para pessoa física alcançaram R$ 518 milhões nos cinco primeiros dias de vigência do programa, que foi chamado de Melhor Crédito. A cifra representa um avanço de 17% na comparação com a semana anterior ao lançamento.

A base de clientes pessoa física cresceu 11%, de acordo com o banco. Houve aumento também nas concessões para empresas, com um volume 9% superior ao registrado na semana anterior ao início do programa.