AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS SE DESTACA EM MERCADO IMOBILIÁRIO GLOBALIZADO


Você sabe o preço real do imóvel? Este é pré-requisito ideal para que o proprietário venda sua casa ou apartamento sem prejuízo ou por um preço além do mercado que prejudique a negociação. Por isso, a atividade de avaliação de imóveis vem conquistando  espaço no mercado imobiliário e sendo vista como uma nova oportunidade para o corretor de imóveis se capacitar e complementar renda.



Atualmente, o Cadastro Nacional dos Avaliadores de Imóveis possui 10 mil inscritos, mas o mercado ainda promete crescimento. Conversamos com o Perito Avaliador e autor do livro Avaliação de Imóveis – Teoria e Prática, Frederico Mendonça.


Quais as perspectivas da atividade de avaliador de imóveis em um mercado imobiliário globalizado?

São as melhores possíveis, especialmente porque não há mais espaço para o amadorismo no mundo globalizado. As empresas, bem como as pessoas naturais, tendem cada vez mais a buscar profissionais capacitados para lhe prestarem serviços mais criteriosos, observando padrões e critérios técnicos, possibilitando-lhes assim minimizarem os seus riscos quando da realização dos seus negócios.

Quais os desafios que este segmento ainda enfrenta?

Como se trata de uma atividade relativamente nova, a adequada qualificação profissional ainda é o maior desafio. Os profissionais da avaliação, assim como outros profissionais que exercem atividades de relevante importância na sociedade moderna, precisam se qualificar cada vez mais, pois os critérios técnicos são cada vez mais exigidos, seja qual for a área do conhecimento, independentemente do país onde exerçam as suas atividades. E esse desenvolvimento profissional pode ocorrer de várias maneiras, especialmente através da participação em cursos de aperfeiçoamento, em palestras, em seminários e da leitura de obras técnicas especializadas.

Hoje, há uma conexão de mercados expressiva e profissional  do setor imobiliário , o que possibilita a ampliação de negócios. Como o avaliador de imóveis pode aproveitar esta oportunidade para expandir sua atuação?

O avaliador integra o mercado imobiliário, portanto os seus conhecimentos, a sua percepção de mercado, as suas técnicas – e porque não dizer, enfim, o seu trabalho? –  são constantemente buscados. Eu defendo que uma operação imobiliária para ser bem concretizada, deva começar por uma criteriosa avaliação.

Como o Sr. observa a avaliação imobiliária em outros mercados internacionais?

É uma atividade muito valorizada. No México, por exemplo, onde estou lançando (traduzido para o espanhol) o livro Avaliação de Imóveis – Teoria e Prática, de minha autoria, fruto do Consórcio entre o Cofeci e a Associação Mexicana dos Profissionais Imobiliários, a profissão de corretor de imóveis ainda não é regulamentada, porém a do avaliador sim. Lá existe inclusive um cadastro nacional de avaliadores, muito ativo e requisitado em todo o país.





O Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários – Cnai, do Cofeci, consta com aproximadamente 10 mil cadastrados. Que estratégias são necessárias para aumentar o número de inscritos e diminuir esta carência de profissionais no mercado?


O Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários – CNAI do COFECI é uma  espécie de vitrine dos corretores avaliadores, que já consta com mais de 10 mil inscritos, o que ainda é muito pouco, considerando que temos mais de 264 mil corretores de imóveis ativos no Brasil. Acredito que se todos os profissionais tivessem consciência da importância desse Cadastro, do que ele representa para o mercado e o quanto ele tem influído no sucesso dos profissionais que dele fazem parte, teríamos mais de 100 mil inscritos.