O COMPROMISSO DO CORRETOR DE IMÓVEIS COM A ÉTICA PROFISSIONAL


Posso garantir que o valor da honestidade é prioridade na atual sociedade pela qual vivemos. Os consumidores desejam que tudo aquilo que é falado, ou melhor, prometido, possa ser devidamente cumprido. Aquela imagem, por exemplo, do político cheio de promessas é ultrapassada, portanto não ganha mais eleição. Do mesmo modo, o corretor de imóveis que deseja conquistar "eleitores", neste caso clientes, necessita de um posicionamento sincero nas palavras para gerar confiança e credibilidade.



No dia a dia, falar em ética profissional é visualizar uma postura de muita competência de atendimento; discurso com informações verdadeiras; jamais negligenciar no retorno de e-mails ou telefonemas; garantir que tudo que está sendo realizado é da melhor maneira possível. De fato, é isto mesmo. Poderia até resumir afirmando que a ética é não prejudicar ninguém. Assim, o corretor de imóveis que realiza seu trabalho de intermediação imobiliária, sem dano ou prejuízo, é certeza de que possui princípios moral, através de caráter e bons costumes.


Acontece que, infelizmente, ouvimos alguns casos desastrosos da ausência de distinção dos profissionais responsáveis pela realização do maior sonho do povo brasileiro. Problemas de incompetência, imprudência, imperícia e omissão durante o processo de aluguel ou compra imobiliária podem custar muito caro, de acordo com o Artigo 5° do Código de Ética do Corretor de Imóveis. "O Corretor de Imóveis responde civil e penalmente por atos profissionais danosos ao cliente".

Sendo assim, deixo meu incentivo para que cada vez mais os corretores de imóveis possam atuar com excelência, de modo bem elogiável. Agindo com real comprometimento de que o cliente merece tratamento especial, decente, digno. O resultado será um maior número de clientes satisfeitos, que facilmente irão gerar indicações. É vitória folgada já garantida no primeiro turno.