CORRETORES DE IMÓVEIS, QUE TAL UMA REFLEXÃO HOJE?

Somos o que somos por amor e identificação à profissão, não temos salário, não temos estabilidade de emprego, não temos nem emprego. Na maioria somos autônomos sem autonomia.
Cumprimos plantões, escalas, participamos de “roletas” (para a sociedade só os fortes entendem o que é “roleta”).
Não temos e nem queremos vínculos empregatícios, embora a maioria das imobiliárias, incorporadoras e gerentes insistem em nos tratar como funcionários.
Muitas vezes somos usados por clientes mal intencionados que não nos reconhecem profissionais como outros tantos. Apostamos alto desde a prospecção até a concretização de um negócio, nem sempre com garantia de que seremos remunerados por isto.
Fazemos avaliações/pareceres mercadológicos sem custos aos clientes, apenas na expectativa de poder trabalhar a venda do imóvel com exclusividade.
Não temos reserva de mercado, qualquer pessoa pode comprar e vender imóveis sem a participação de um corretor. Ainda, nem nos fazemos constar nas Escrituras e Registros onde tivemos participação efetiva.
Porém somos aguerridos, somos participantes da fé pela natureza de nossa profissão de sempre acreditar.
Não desistiremos de lutar por reconhecimento!
Um forte abraço e parabéns a todos os Corretores de Imóveis que a despeito de tudo isto, trabalha com afinco, amor e zelo.
Atenciosamente,
Palácio – CRECI 15.413